José Tadeu Alves
Arte é movimento, sua alma está em chama, então você cria...
CapaCapa TextosTextos ÁudiosÁudios FotosFotos PerfilPerfil PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


Eh, meu filho André!
Como foi bom você ter vindo!
Vieste com os auspícios de primavera...
Chegaste com a surpresa das tempestades de novembro!
Lembro ainda, de teu choro valente...
assim como lembro, de seus longos risos...
Iluminaste a minha vida, como um raio de sol...
Mostraste a um homem simples,
os mistérios de ser pai... 
 E como se pode sorrir com orgulho e
erguer ao alto e dizer:
“Este é meu filho...!”
Meu primogênito, minha força,
meu primeiro companheiro,
meu primeiro escudeiro...
Minha primeira alegria de pai!
Eu sempre tive muitos sonhos contigo meu filho!
Sempre sonhei realizá-los....
O tempo mudou o curso  de nosso rio
Mas você não teve escolhas.
Foste também, morar longe de mim...
Foste levado a viver distante...
mas esqueceste de ficar sempre pequeno...
O meu filho “Dedé”.
Todo filho deveria sempre permanecer criança!
Assim, todos os nossos sonhos seriam possíveis!
Como eu queria de novo, ser criança...!
brincaria de novo contigo... passearíamos nas tardes, pelos
campos...
Veríamos de novo, o pôr-do-sol...
Veríamos juntos, a revoada dos passarinhos,
enquanto o seu riso esperto procurava pronunciar o diálogo das aves...
Ao ver a revoada das galinhas-d´água...
Seríamos bem mais amigos,
não haveriam jogos de ideias,
apenas jogos inocentes e risos sem compromissos....
Seria uma vida simples, pura e amorosa.
Gostaria que você se lembrasse meu filho,
que tive que viver longe de minha família...
Parece que a vida nos destinou,
viver meio que numa ilha....
Dessas que podemos avistar ao longe,
o quê o coração nem sempre avista...
Porém por dentro, a tudo abrange!
Mas as lembranças atravessam mares e oceanos,
espaços infinitos...
As recordações nos levam a distâncias
quase inacessíveis...
A saudade nos leva a lugares
que consideramos também impossíveis....
Mas as recordações nos aproximam!
Acredito que Deus escreveu nossa história.
Se ela teve que ser assim,
temos que aceitar assim...
Mas, se essa distância for apenas uma vírgula,
eu quero crer que hajam ainda muitas interrogações a
serem respondidas...

Que Jesus ilumine o seu caminho...
Sempre amarei você meu filho...
 
José Tadeu Alves
Enviado por José Tadeu Alves em 16/02/2011
Alterado em 10/11/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários