José Tadeu Alves
Arte é movimento, sua alma está em chama, então você cria...
CapaCapa TextosTextos ÁudiosÁudios FotosFotos PerfilPerfil PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


Homenagem 
às Professoras e a Escola E. Padre Mestre Corrêa 
Barbacena-MG


Em meus sonhos recorrentes
como doce toque, ainda permeiam
imagens de um passado distante,
momentos inesquecíveis e importantes,
na Escola Estadual Padre Mestre Corrêa

Manhãs douradas de Barbacena,
passadas apressadas, indo para escola,
olhar confiante no aprendizado,
brilho nos olhos, sem perceber o fardo
dos livros e cadernos na sacola.

Nas frias manhãs de inverno,
Meu pai Antônio, me acordava!
Ainda lembro bem, sua voz calma,
aconselhando-me aos estudos
marcaram-me no fundo na alma.

Meus cabelos ainda molhados,
café quentinho de mãe Jovita,
ouvindo lá fora, belos trinados,
dos felizes pássaros ocupados,
da faceira ninhada colorida.

Uniforme azul bem passado,
camisa branca, refletindo o sol nascente,
sapatos pretos, bem engraxados,
olhar fixo e preocupado;
coisas que marcam a infância da gente!

Íamos todos a pé para escola...
Cumprimentando as pessoas alegremente,
balbuciando hinos, ou relembrando,
aritmética, compêndios e tabuadas
matérias ensinadas cotidianamente;

Dedicadas Professoras, eu tive;
aprendizado de inquestionável luz
exemplos de retidão e urbanidade,
conhecimentos acerca da humanidade,
ensinados com muito amor.

Professoras: D. Maria Amélia Sacramento Kelmer,
D. Marlene, D. Salomé e D. Nazaré...
Anônimas heroínas do ensino fundamental...
Sábias, simples e asas abertas,
verdadeiros anjos, sempre alertas,
a nos ensinar com toque maternal...

Lembro-me das longas escadarias,
que conduziam-me ao segundo andar,
sendo criança, meu coração ainda diria,
minha imaginação me indicaria,
que aos céus poderiam me levar...

Nos dias de hoje, quando visito minha cidade,
ao passar em frente ao portão,
vejo o quão ele está marcado,
com amor e lembranças emoldurado
no fundo de meu coração...

Ao portão, sentia-me qual um príncipe!
Que voltara de longe ao seu castelo.
Minha escola era um sonho singelo,
que me fizera acordar em segurança,
a uma sólida realidade...

Hoje porém, vivo distante...
Num passado, às vezes tão vivo assim...
Mesmo em sonho, como um barco cheio de lembranças...
meus melhores sonhos de criança,
permanecem atracados dentro de mim...









José Tadeu Alves
Enviado por José Tadeu Alves em 17/04/2008
Alterado em 09/11/2012
Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários